O tempo pode ser implacável com a pele do rosto. Além dos efeitos do sol, poluentes e a gravidade, alguns fatores como a queda das pálpebras podem afetar a funcionalidade e causar muito desconforto.  

Quando se fala em mini rejuvenescimento da face ou o minilifting, os cirurgiões plásticos utilizam procedimentos para tratar dois terços da face: a fronte (testa) e as maçãs do rosto.   

As técnicas de minilifting evoluíram muito e ficaram ainda mais seguras, com resultado de aparência rejuvenescida e muito natural. Pode-se dizer que essa é cirurgia plástica praticamente feita apenas com: anestesia local + sedação.

 

Como é feito o mini lifting?

 

O objetivo é fazer um tratamento que reposiciona a musculatura e traciona levemente a pele. Por ser uma cirurgia mais ‘simples’, o mini lifting pode ser feito em áreas distintas:

 

  • Minilifting anterior: para rejuvenescer a área chamada de terço médio da face.
  • Minilifting posterior: para rejuvenescer  e melhorar a aparência do pescoço e linha mandibular – contorno do rosto.

 

Com as tecnologias e associações de técnica, os cirurgiões plásticos utilizam preenchedores, toxina botulínica e o enxerto de gordura para ‘levantar’ a expressão, trabalhando o terço superior da face – região da testa.

O ácido hialurônico e a gordura podem ser alternativas para renovar o volume das maçãs do rosto (bochechas), o que é chamado de terço médio da face.

Preenchendo os sulcos, as linhas de expressão também ficam suavizadas, retirando-se a impressão de aparência cansada.

Passo a passo, cirurgião plástico faz o mini lifting por meio do descolamento da pele do músculo em linhas pré-marcadas na região do rosto.

O médico dá alguns pontos nos músculos, para suspender e tratar a flacidez. A pele é reposicionada e retira-se o excesso dela, depois de tracioná-la.

O minilifting ajuda a atenuar o efeito do tempo, dos sinais de envelhecimento ou estresse e até da exposição solar.  

 

Músculos e camadas mais profundas do rosto

 

Quando se faz a cirurgia plástica do rosto, que pode ser o lifting ou o minilifting, o médico pode trabalhar as estruturas mais profundas reposicionando os músculos e eliminando o excesso de flacidez.

Antigamente, esse procedimento resultava numa aparência esticada, o que não é mais uma realidade hoje em dia.

O trabalho do cirurgião plástico é sutil e busca amenizar a perda de massa muscular, adiposa e óssea, além de tratar rugas, que aparecem com o passar dos anos.

Para isso é que as irregularidades são preenchidas delicadamente, as sobras são eliminadas e o médico aproveita a elasticidade que a pele ainda têm para esculpir uma expressão mais relaxada com o mini lifting.

As cicatrizes podem ficar na parte da frente da orelha, contornando-a por baixo, e podem entrar na região da nuca pelo couro cabeludo ou ainda podem atingir as têmporas. Tudo depende da estratégia cirúrgica e a experiência do cirurgião plástico.  

 

Como escolher o cirurgião?

 

A escolha do médico é vital para uma intervenção satisfatória no rosto! Essa é a decisão mais importante!

O site da SBCP – Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica disponibiliza uma ferramenta de pesquisa, e o os nomes dos membros podem ser consultados aqui.

 

DR SPÍNDOLA

CRM 92759

*Residência Médica em Cirurgia Geral por 2 anos no Hospital do Servidor Público Municipal (HSPM) de São Paulo.
* Residência Médica em Cirurgia Plástica por 3 anos no Hospital do Servidor Público Municipal (HSPM) de São Paulo.
*Especialista em Cirurgia Geral pelo Conselho Federal de Medicina (CFM).
*Especialista em Cirurgia Plástica pelo MEC – Ministério da Educação.
*Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP).


WhatsApp chat