Cada paciente recebe um atendimento personalizado do médico. Portanto, todo processo que culmina na realização de uma cirurgia, começa pela avaliação cuidadosa e detalhada do estado de saúde da pessoa.

 

Vale sempre lembrar que a Organização Mundial de Saúde, a OMS, preconiza que a definição de saúde está em um estado de completo bem-estar físico, mental e social e não somente ausência de afecções e enfermidades”.

 

Os aspectos comportamentais são, para o cirurgião plástico, componentes valiosos de avaliação ampla. A partir de uma análise clínica e dos protocolos de saúde, ele faz o pedido de exames médicos, antes de realizar um procedimento, seja estético ou de finalidade funcional.

 

Para cirurgia plásticas reparadoras, por exemplo, as informações sobre acesso e regulação dos procedimentos são atribuídas pelo Ministério da Saúde. Os protocolos são regras claras de como todos os médicos devem agir, observando as melhores práticas.

 

No consultório, depois de escolher o cirurgião plástico, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), o médico poderá solicitar os exames comumente mais realizados. São eles:

 

Análise do sangue, que inclui pedidos como:  

  • Glicemia em jejum – mostra os níveis de glicose no sangue. Em altas taxas, o risco de infecções pode ser potencialmente maior, com microorganismos resistentes.

 

  • Hemograma – o exame que verifica a quantidade de hemácias, leucócitos e plaquetas.

 

  • Coagulograma – checa a capacidade de coagulação do sangue.

 

  • Uréia e Creatinina no sangue – informa sobre o funcionamento dos rins.

 

Uréia

 

É usual verificar:

 

  • Exame de Urina Tipo 1 / EAS –  que é como o cirurgião obtém a análise dos aspectos macroscópicos (odor, cor) e microscópicos como a presença de microorganismos, pH, densidade e etc. Isso dá indícios do funcionamento de rins e fígado, por exemplo.

 

  • Urocultura – que pode indicar a presença de microrganismos causadores de infecção.

 

Exames cardíacos como o eletrocardiograma – ECG – que analisa a atividade elétrica do coração.

 

Exames de imagem, que variam de acordo com o tipo de cirurgia plástica.

 

Análises clínicas de exames laboratoriais podem ser indicadas por conta do tempo. Por exemplo, três meses antes da cirurgia.

Isto pode ser determinado pelo médico para que ele tenha a condição real do corpo naquele momento.

 

No consultório, o cirurgião preconiza a explicação de cada item ao paciente sobre o pré-operatório e o pós-operatório, fundamentais para o sucesso de um tratamento cirúrgico.

 

Converse, exponha angústias, pergunte e tire todas as dúvidas dentro do consultório. O cirurgião plástico está pronto para acolher as nuances do tratamento, dar o encaminhamento pré e pós-cirúrgico, acompanhando o curso natural da Jornada do Paciente, que levará (ou não) à indicação do procedimento.    

 

DR SPÍNDOLA

CRM 92759

*Residência Médica em Cirurgia Geral por 2 anos no Hospital do Servidor Público Municipal (HSPM) de São Paulo.
* Residência Médica em Cirurgia Plástica por 3 anos no Hospital do Servidor Público Municipal (HSPM) de São Paulo.
*Especialista em Cirurgia Geral pelo Conselho Federal de Medicina (CFM).
*Especialista em Cirurgia Plástica pelo MEC – Ministério da Educação.
*Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP).