A ginecomastia é a condição de crescimento excessivo da glândula mamária masculina, que leva a um depósito de gordura sob o mamilo. Dados da OMS (Organização Mundial de Saúde) indicam que ela atinge até 40% dos homens.

Esta condição pode ser consequência do aumento das glândulas, da concentração de gordura ou de ambas. A ginecomastia está sempre relacionada com o desequilíbrio da produção de testosterona, que é o hormônio responsável pelas características masculinas e pela produção de estrogênio, mais relacionado com características femininas como o crescimento das mamas.   

Entenda o problema: 

A ginecomastia pode acontecer adolescentes entre os 13 e 14 anos e apresentar regressão aos 17, ainda assim, recomenda-se uma avaliação médica

O crescimento das mamas dos meninos acontece em até 6 meses, e esse processo pode resultar em um aumento anormal das glândulas, que depois tendem a voltar às medidas normais. Mas há estimativas que demonstram que em até 5% dos casos, esse crescimento, chamado de hipertrofia, pode permanecer até a fase adulta.  

A ginecomastia também pode acometer homens com obesidade, porque o tecido adiposo também produz enzimas que podem converter os precursores de testosterona em estrógenos. 

Homens com mais de 70 anos também podem apresentar a ginecomastia e com um simples exame físico já se pode constatar o crescimento anômalo das duas ou em uma mama.  

A avaliação médica tem como objetivo identificar o grau da ginecomastia:

  • Grau 1: as mamas aparentam estar inchadas e as aréolas são proeminentes. Apenas o fato de usar roupas mais ajustadas já pode gerar incômodo nessa fase. 
  • Grau 2: o tecido mamário apresenta aumento que  extrapola a região areolar. 
  • Grau 3: as mamas são grandes e caídas (ptosadas). Os pacientes relatam incômodo extremo, sendo difícil disfarçar a aparência e podendo causar problemas psicológicos mais severos

Quais são as consequências? 

O principal aspecto a ser avaliado são as implicações psíquicas e a causa do problema. Os especialistas que podem ser  consultados são os clínicos gerais, cirurgiões plásticos ou endocrinologistas. Os tratamentos devem ser sempre indicados pelo médico e podem envolver terapia hormonal ou cirurgia plástica. 

De maneira geral, essa condição não afeta o funcionamento do organismo, então além do crescimento assimétrico, em alguns casos, pode ocorrer:

  • maior sensibilidade ou dor
  • coceira
  • aréola em formato assimétrico
  • secreções (que são sinais de alerta!) que podem estar associadas a doenças 

A principal recomendação é procurar um médico. 

O aumento das mamas masculinas pode ser constrangedor e para os adolescentes e pode afetar seriamente o comportamento sexual em homens adultos. 

 

Cirurgia de ginecomastia

 O cirurgião faz a remoção da glândula e reconstrói o formato, evitando que o tecido volte a crescer. A incisão é sempre discreta e estrategicamente planejada de acordo com a quantidade de pele a ser retirada. As cicatrizes tendem a ser quase imperceptíveis com o tempo. A estratégia cirúrgica mais comum é do corte em meia lua ao redor do mamilo, com a abertura virada para cima.

O procedimento cirúrgico é feito com anestesia local e sedação. De maneira geral, o paciente recebe  alta no mesmo dia. 

 

Cuidados pós operatórios

Os cuidados pós-operatórios recomendados pelo cirurgião devem ser seguidos, especialmente na presença de drenos, comumente usados neste tipo de cirurgia. 

O cumprimento da terapia medicamentosa também é um item importantíssimo para a recuperação. 

O paciente também deve usar um colete por até 45 dias, fazendo o acompanhamento programado pelo seu cirurgião plástico, que acompanha o processo de cicatrização nas consultas agendadas. 

O retorno aos exercícios físicos e cuidados com atividades cotidianas também são orientados pela equipe médica e todas as dúvidas devem ser tiradas no consultório. 


WhatsApp chat