Lipoaspiração

Melhorar os contornos, eliminar gordura localizada, ajustar a proporção das medidas do corpo. Os anseios quanto à aparência podem fazer da lipoaspiração o objeto do desejo de mulheres e homens e a grande chave é saber exatamente: como e qual local e com quem eu devo operar?

É muito importante salientar que os padrões de beleza mudam ao longo dos tempos e aceitação da natureza das próprias curvas é o que torna a autoestima forte e estimula hábitos saudáveis, de maneira ampla.

A aceitação é o elixir da beleza, e é justamente nela que se deve pensar quando o incômodo levar pacientes a buscarem os cirurgiões plásticos.

 

Tipos de Lipoaspiração

Aliada, a lipoescultura pode ser feita em quase todas as áreas onde o acúmulo de gordura é comum a diversos biotipos:

  • Coxas
  • Braços
  • Pescoço
  • Cintura
  • Costas
  • Parte medial do joelho
  • Peito
  • Bochechas
  • Queixo
  • Pernas
  • Tornozelos

Para cada área, a lipoaspiração exigirá uma abordagem, que poderá incluir a técnica realizada de maneira isolada ou em procedimentos de cirurgia plástica como o facelift, mamoplastia redutora ou a abdominoplastia. Houve muita evolução nos últimos anos, mas a cirurgia é feita com cânulas, que promovem sucção do tecido adiposa acumulado.

Recomendações

Órgãos reguladores como o Conselho Regional de Medicina (CFM) e a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) recomendam que as cirurgias de lipoaspiração não ultrapassem 7% do peso corporal no volume aspirado, ou 40% da superfície corporal em área total. Ou seja: a lipoescultura não é um tratamento para a obesidade e não substitui exercícios físicos.

A cirurgia plástica é uma especialidade médica insubstituível na possibilidade de auxiliar, em casos clinicamente indicados, na busca pela harmonia dos contornos do corpo, conformidade das curvas e proporções. Uma lipoaspiração pode levar o paciente a sair do sedentarismo, cuidar da alimentação, incluir a prática de exercícios físicos na rotina e alcançar um novo patamar de saúde. Médicos especialistas são condutores e guias para essa jornada.

Por que acontece o “efeito braile”?

A fibrose é uma cicatriz interna, que pode aparecer como resultado de uma cirurgia plástica, especialmente a lipoaspiração. Ela deixa a pele com o aspecto denso, com grumos que podem conferir um aspecto abaulado (calosidades internas) e que causam extremo desconforto ao toque.

Ao longo dos anos, as técnicas empregadas para a realização da lipoescultura minimizaram muito o aparecimento de nódulos, resultados efetivamente inestéticos ou que comprometam a saúde, por conta desse efeito natural da cirurgia.
Para que esse risco seja mínimo, a principal decisão a ser tomada é a escolha do médico, devidamente cadastrado na Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

Outro ponto importante é entender que as cânulas utilizadas para a lipoaspiração causarão lesões e, portanto, fomentarão a formação de cicatrizes organicamente. Isso só será um problema se essas marcas internas não tiverem tamanho e quantidade reduzidas.
Nos primeiros meses após a cirurgia, será normal sentir a região endurecida e a pele ‘repuxar’. Isso acontece por conta da reação de inchaço (edema) natural, que vai cedendo também naturalmente com o passar do tempo.

A partir de 6 meses, essas fibroses tendem a ceder, de forma que, não deverão nunca desaparecer completamente, nem se tornar um problema inestético, incômodo ou traumático.

Ferramentas de efeito terapêutico

Além de seguir à risca todas as orientações do médico, passo a passo, o tratamento pós-operatório deverá incluir outras ferramentas de efeito terapêutico como:

  • Drenagem linfática
  • Endermologia (massagens profundas)
  • Ultrassom
  • Acupuntura associada à abordagem estética

Conheça nossa lista completa de cirurgias e procedimentos aqui neste link.

 

Perguntas frequentes

Principais dúvidas sobre o procedimento

Retirada de gordura localizada e preenchimento em áreas com má definição corporal.

São feitas pequenas incisões em locais estratégicos onde uma cânula retira o excesso de gordura. Posteriormente, esta mesma “gordura”, será lavada cirurgicamente e enxertada através de seringa nos locais onde existem depressões.

São mínimas, medindo de 5 a 8 milímetros. Geralmente, ficam escondidas nas pregas naturais do corpo.

Local com sedação, peridural ou geral, dependendo do volume de gordura que será aspirado.

De 2 a 3 horas, dependendo do volume e regiões aspirados.

Pode variar de meio período até um dia.

A Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica indica a retirada máxima de 5% a 7% de todo o peso corporal, considerada uma porcentagem de segura. Por isso, em alguns casos são necessários procedimentos em duas fases com intervalo mínimo de três meses.

No caso da lipoescultura, é importante lembrar que parte da gordura enxertada é reabsorvida pelo organismo, por isso, quem tem como objetivo um aumento proporcional dos glúteos, necessita de uma avaliação e se necessário será indicado um implante de próteses na região.

É preciso realizar todos os exames solicitados pelo cirurgião e informá-lo sobre todos os remédios que faz uso, desde anticoncepcionais até antidepressivos. Na cirurgia, você será anestesiada (o) e alguns medicamentos podem alterar a coagulação levando a um sangramento excessivo. Se estiver tomando medicamentos à base de ácido acetilsalicílico, antigripais, inibidores de apetite, ginseng ou gincobiloba, interrompa o uso 14 dias antes da cirurgia.

Manter a pele bem hidratada potencializará o resultado da cirurgia. Invista em tratamentos que estimulem a oxigenação, tonificação e eliminação de toxinas. As drenagens linfáticas acompanhadas de esfoliação e hidratação corporal são excelentes aliadas neste processo.

Use a cinta modeladora junto com a placa compressiva por um período de 60 dias e a meias de compressão por até 8 dias. Evite movimentos bruscos, principalmente na primeira semana. Escolha roupas leves e que não marquem, sua pele estará muito sensível. A drenagem linfática é indicada após 4 dias da cirurgia no intuito de acelerar a recuperação, reduzir o inchaço, o endurecimento e oferecer bem-estar. Evite o sol, pois ele age tanto nas equimoses (manchas roxas) quanto nas cicatrizes recentes, podendo pigmentar a pele e deixar uma marca permanente. Após o 3º dia, não existe qualquer inconveniente em se expor ao sol ao sair de casa, mas não saia sem aplicar o protetor solar FPS 30. Entretanto, para exposições longas (praias, banhos de sol), aconselha-se aguardar um período mínimo de 90 dias.

De uma semana a dez dias. A prática de exercícios só De 3 a 5 dias. A prática de exercícios só deve ser retomada após 21 dias, com movimentos leves. Para exercícios de “alto impacto”, o ideal será esperar 60 dias.