A relação com os padrões de beleza, especialmente para as mulheres, precisa ser revista por quem pensa em fazer uma cirurgia plástica de lipoaspiração na região da barriga.

Diminuir a cintura, tonificar os músculos, deixar todas as medidas mais harmônicas é ainda um desejo de diversas mulheres.

As motivações devem ser investigadas. A decisão sobre a cirurgia precisa ser feita sob expectativas realistas do resultado. Só o médico cirurgião pode fazer esta recomendação.

Em uma lipoaspiração, o médico pode utilizar a anestesia local, peridural ou anestesia geral. Deve sempre ser feita em ambiente hospitalar, com toda estrutura à disposição do cirurgião plástico, caso ele necessite.

Para cada área, a lipoaspiração exigirá uma abordagem, mas a cirurgia é feita pela destruição e sucção do tecido adiposo acumulado.

Órgãos reguladores como o Conselho Regional de Medicina (CFM) e a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) recomendam que as cirurgias de lipoaspiração não ultrapasse 7% do peso corporal no volume aspirado, ou 40% da superfície corporal em área total.

Ou seja: a lipoaspiração não é um tratamento para a obesidade e não substitui exercícios físicos.

No contexto de um bom acompanhamento e tratamento, a cirurgia de lipoaspiração pode acabar estimulando o paciente a sair do sedentarismo, cuidar da alimentação, incluir a prática de exercícios físicos na rotina e alcançar um novo patamar de saúde.

Médicos especialistas são condutores e guias para essa jornada.

 

Antes da cirurgia

 

Além da segurança em realizar todos os exames, o médico deverá avaliar as condições cardiológicas dentre outros exames como: Radiografias de tórax; ultrassom da região a ser operada; doppler para ver vasos sanguíneos das pernas e a presença de trombos na corrente sanguínea.

Os aspectos emocionais e os desdobramentos no comportamento, também são objeto da avaliação médica. Angústias, medos e sentimentos ligados à expectativa de realizar a lipoaspiração na barriga devem ser falados sem medo, assim como todas as dúvidas sobre os procedimentos.

Siga à risca as recomendações sobre jejum, banho, preparações e providências dadas por seu cirurgião plástico.

 

O que é o “efeito braile” na pós-cirurgia?  

 

A fibrose é uma cicatriz interna, que pode aparecer como resultado de uma cirurgia plástica, especialmente a lipoaspiração.

Ela deixa a pele com o textura densa, com grumos que podem conferir um aspecto abaulado (calosidades internas) e que causam extremo desconforto ao toque.

Ao longo dos anos, as técnicas empregadas para a realização da lipoaspiração minimizam muito o aparecimento de nódulos.

Para que esse risco seja mínimo, a principal decisão a ser tomada é a escolha do médico, devidamente cadastrado na Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica: confira aqui.

A habilidade e experiência do cirurgião contam pontos no momento do procedimento.

 

Logo após a cirurgia é preciso repouso absoluto, descanso, cintas que pressionem a área operada, além de fisioterapeutas que apliquem a drenagem linfática manual.

Caminhadas curtas também são bem-vindas. É importante ativar a circulação sanguínea usando as pernas, com até 15 minutos de caminhada leve, por exemplo.

Depois de 20 dias pode-se fazer atividades leves e ir acompanhando o processo de desinchar, que vai acontecendo no tempo do organismo, sendo sempre ‘ajudado’ pelo paciente.

Nos primeiros três meses após a cirurgia pode ser normal sentir a região endurecida e a pele ‘repuxar’. Isso acontece por conta da reação de inchaço (edema) natural, que vai cedendo também naturalmente com o passar do tempo.

A partir de 6 meses, essas fibroses tendem a ceder, de forma natural.

 

Além de seguir à risca todas as orientações do médico, passo a passo, o tratamento pós-operatório pode incluir outras ferramentas de efeito terapêutico como:

  • Drenagem linfática
  • Endermologia (massagens profundas)
  • Ultrassom
  • Acupuntura associada à abordagem estética

 

Outros procedimentos cirúrgicos tem o efeito da lipoaspiração e carregam sensíveis diferenças.

Lipoescultura: que é a retirada da gordura de forma que ela seja utilizada como preenchimento em outras regiões do corpo.

Mini-lipo: que utiliza a mesma técnica da lipoaspiração comum em uma área menor, portanto é mais rápida, demanda apenas anestesia local ou peridural.

 

DR SPÍNDOLA

CRM 92759

*Residência Médica em Cirurgia Geral por 2 anos no Hospital do Servidor Público Municipal (HSPM) de São Paulo.
* Residência Médica em Cirurgia Plástica por 3 anos no Hospital do Servidor Público Municipal (HSPM) de São Paulo.
*Especialista em Cirurgia Geral pelo Conselho Federal de Medicina (CFM).
*Especialista em Cirurgia Plástica pelo MEC – Ministério da Educação.
*Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP).