O seios muito aumentados podem afetar a postura e causar problemas emocionais. Se essa condição acomete uma mulher jovem ou adolescente, essas consequências devem ser cuidadas com muito carinho e com a orientação de um cirurgião plástico.   

A mamoplastia redutora, que é cirurgia para diminuir o tamanho dos seios,  pode ser feita a partir dos 18 anos, quando o corpo já passou por um processo de maturidade e as mamas estão desenvolvidas o suficiente para que o resultado final da cirurgia não sofra modificações.

 

Ao chegar ao consultório médico…

 

É muito comum que pacientes desenvolvam alguma ansiedade, isso porque o tamanho e o peso dos seios geralmente leva a dores crônicas nas costas. Os desconfortos estéticos, emocionais outras de outras ordens mais sutis dificultam a vida escolar ou social das pessoas.

É importante abordar os problemas que acarretam nas dificuldades para a aceitação do próprio corpo. O ambiente mais seguro e fértil para que a conversa aconteça de forma esclarecedora é o consultório.

Por isso, além de verificar a indicação para a cirurgia caso a caso, avaliando minuciosamente cada paciente, o médico pode solicitar uma série de exames e poderá rever os medicamentos que a pessoa faz uso contínuo.

Saiba: antinflamatórios, aspirinas e até fitoterápicos podem aumentar os níveis de sangramento no momento da cirurgia. É importante relatar todos os que usa.

Para quem é fumante, a exigência é parar totalmente de fumar por, pelo menos, 40 dias antes da cirurgia.

 

Reduzir os seios sempre deixa muita cicatriz?

 

Essa é outra pergunta muito trazida por pacientes que buscam a mamoplastia redutora, justamente porque imaginam que, por reduzir o tamanho dos seios, a área compartilhada com as cicatrizes tenderá a ser menor, portanto abrigaria muitas marcas. Essa não é uma verdade.

A mamoplastia redutora pode ser feita com técnicas cirúrgicas apuradas, com incisões em formato “L”, em “I” ou em “T” invertido em torno da aréola.

Por isso a escolha do cirurgião é tão determinante, assim como a decisão dele em cada caso, para cada paciente.

 

Essa cirurgia já levanta os seios?

 

Não. Para isso, junto com a mamoplastia redutora, o médico poderá optar por realizar uma mastopexia, que reposiciona as mamas e remove o excesso de pele.

Portanto, para este resultado, dois procedimentos são necessários e todo o processo de pré e pós-operatório também devem ser esmiuçados no ambiente do consultório. Todas as recomendações médicas devem ser seguidas rigorosamente.

 

A recuperação é difícil?

 

Após qualquer cirurgia plástica é comum o paciente sentir dores e, no caso da mamoplastia redutora, será necessário fazer uso de sutiãs especificamente indicados para dar suporte e, com isso, favorecer o processo de cicatrização.

Por algum período, também será necessário deitar sempre com a barriga para cima.

O acompanhamento médico é vital para que o cirurgião plástico determine a retirada dos pontos, assim como ele deverá orientar o retorno à rotina de atividades.

É muito importante não movimentar bruscamente os braços e tronco por um período após a cirurgia. Isso porque a qualidade das cicatrizes pode ficar comprometida se elas forem muito tracionadas ou movimentadas.

É que esse tipo de exigência acaba demandando mais produção de colágeno, e pode conferir um aspecto mais denso, escuro ou espesso da pele. Tudo isso pode influenciar o resultado da mamoplastia redutora.

 

Mas é muito importante saber também que você precisa e deve se movimentar!

 

A movimentação dos membros inferiores ajuda a circulação sanguínea e melhora as condições de cicatrização de todas as camadas de tecido. Faça pequenas caminhadas, mesmo dentro de casa, para frente e para trás.

Quando movimenta os braços, cuide para que os movimentos sejam lentos, dentro dos limites que o médico recomendou. Você pode dobrar os cotovelos sem prejuízo, mas com a suavidade orientada e recomendada por seu cirurgião plástico.    

Quer uma dica? Antes da cirurgia, você pode colocar uma das mãos em um seio e movimentar o outro braço para trás. Observou como o braço acaba por puxar o seio para trás? Esse será seu limite após a cirurgia. Você pode testar outros movimentos para o lado e para frente, assim terá a noção da amplitude que os movimentos deverão ter.

 

Acompanhe, pergunte e utilize a experiência do seu médico para deixar todas as dúvidas de lado!

Encare a avaliação cuidadosa e o processo de definição da cirurgia junto com o seu médico como um período livre para expressar todos os sentimentos ou angústias que vierem à mente.

Siga rigorosamente todas as orientações dele: essa é a recomendação mais importante.

 

DR SPÍNDOLA

CRM 92759

*Residência Médica em Cirurgia Geral por 2 anos no Hospital do Servidor Público Municipal (HSPM) de São Paulo.
* Residência Médica em Cirurgia Plástica por 3 anos no Hospital do Servidor Público Municipal (HSPM) de São Paulo.
*Especialista em Cirurgia Geral pelo Conselho Federal de Medicina (CFM).
*Especialista em Cirurgia Plástica pelo MEC – Ministério da Educação.
*Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP).