Mudar o tamanho da prótese de silicone, substituir um material que tenha atingido os anos estipulados para o uso, ou corrigir um problema estético, que possa gerar um problema de saúde: tudo isso faz parte da cirurgia plástica de revisão dos implantes de mama.

Muitas vezes, pacientes buscam o consultório com problemas específicos, vindos da cirurgia do aumento de seios: pode ser que os materiais de preenchimento mais antigos tenham se rompido por desgaste do tempo, o posicionamento das próteses pode ter alterado, pode acontecer um encapsulamento ou uma contratura. E tudo acontece porque o corpo muda com o tempo, assim como as técnicas de aumento dos seios também mudaram e evoluíram com os anos.

Assim como a colocação do implante, o cirurgião plástico possui técnicas específicas para atuar de forma a evitar problemas com a saúde e cuidar da melhor maneira da estética dos seios.

Uma cirurgia de revisão do implante mamário requer a remoção do preenchimento utilizado ou a reposição desse material.

Esse procedimento é utilizado para corrigir alguma complicação específica, que pode ser também a perda de sensibilidade em alguma área, enrugamentos ou ‘vazamento’ (ruptura) das próteses, além de sintomas que o médico identifica como sendo uma possível resposta do sistema imunológico ao processo de inclusão de próteses nos seios.

Quando o problema veio de uma cirurgia já realizada, o paciente pode temer um novo procedimento. Por isso é tão importante a escolha do especialista, que pode orientar essa decisão de uma maneira minuciosa, explicando os motivos pelos quais deve-se ou não fazer a revisão do implante de mama.

Essa troca deve ser avaliada no ambiente do consultório, sempre com o parecer de um cirurgião plástico! Muitas vezes, a paciente deseja somente mudar o tamanho da prótese por ter alterado o peso, ganhado flacidez, por exemplo. Marcas do tempo, incômodos que surjam depois de uma gravidez, todo tipo de melhora no aspecto dos seios: valerá sempre a visão do especialista, que é o único profissional capaz de definir o tratamento e evitar a chance de existir um problema de saúde e da aparência dos seios.

Mas quando é a hora de trocar a prótese?

É importante esclarecer que o acompanhamento de uma cirurgia de aumento de seios deve ser feita como em uma paciente que não tenha implante mamário, depende da idade, para se pedir ultrassonografia ou mamografia.O cirurgião que realizou o procedimento geralmente solicita exames que revelam a situação da prótese, especificamente.

Portanto, a revisão do implante pode acontecer quando o paciente identifica:

  • endurecimento dos seios
  • dor ou desconforto das mama
  • consegue enxergar facilmente o implante
  • sensação de vazamento ou ruptura da prótese
  • endurecimento de cicatriz
  • flacidez resultante de aumento de peso ou pós gravidez
  • o desejo de mudar o tamanho da prótese
  • encapsulamento e contratura

Um dos problemas mais comuns para a revisão do implante mamário é a contratura capsular, que pode acontecer naturalmente, já que pode vir da resposta do corpo a um material sintético como o silicone. Ainda que preenchimento seja biocompatível, pode acontecer de o organismo formar uma cápsula de isolamento, ou seja, criar uma membrana fibrosa em torno do implante. Isso pode levar a uma mudança de formato indesejada, ou ao enrijecimento dos seios e, em alguns casos, causar dor, além do desconforto.

Muita técnica

Pode-se dizer que a revisão do implante de mama se assemelha à cirurgia de aumento de seios com próteses de silicone, mas o médico tem diversas ferramentas para realizar as correções e deixar os seios novamente harmoniosos.

Para os casos de endurecimento, por exemplo, o cirurgião pode optar por remover a cápsula em torno do implante ou a liberá-la parcialmente para trocar o material. Com muita técnica, o médico pode tentar diminuir beiras (bordos) palpáveis ou a evitar a chance de uma nova cirurgia e novas cicatrizes – em locais diferentes dos utilizados na primeira cirurgia.

Um exemplo completamente diferente é quando a necessidade é eliminar a flacidez dos seios. O cirurgião pode revisar e substituir o implante por um novo material, mas pode precisar realizar novos cortes, ainda que inclua o novo implante utilizando-se da mesma técnica usada anteriormente.

Vale a máxima: cada caso é um caso. Sempre.

A recuperação tende a ser parecida com a da cirurgia de inclusão da prótese e, na maioria dos casos, a alta tende a acontecer no mesmo dia, permitindo que paciente volte para casa com as recomendações expressas comuns, como:

  • repousar
  • não fazer esforço
  • não levantar os braços durante 20 dias
  • utilizar sutiã específico
  • para o banho: utilizar produtos recomendados pelo cirurgião
  • manter o curativo original, conforme orientação do médico, até nova consulta

Todos os tipos de orientação sobre pré e pós operatório serão dadas pelo cirurgião plástico ou equipe designada por ele. Vale a pena tirar todas as dúvidas e é fundamental seguir passo a passo tudo que for recomendado.


WhatsApp chat