Médicos especialistas são os únicos profissionais aptos a fazer esse tipo de avaliação. As condições de saúde devem ser analisadas cuidadosamente, assim como demandam exames clínicos aprofundados para definir quanto o implante de mama necessita de revisão, substituição ou nova cirurgia.

O cirurgião plástico escolhido precisa ser membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica – SBCP. Basta conferir aqui.

 

Para que serve essa cirurgia?

 

A revisão do implante de mama pode corrigir um procedimento cirúrgico com um resultado mal sucedido em curto, médio ou longo prazos. Este tipo de intercorrência pode ser um problema estético ou de saúde.

Remover, reposicionar ou substituir o implante de mama são algumas das providências que o cirurgião plástico pode tomar ao indicar a revisão de um implante de mama.

A contratura capsular é um dos diagnósticos que podem levar à cirurgia de revisão do implante de mama. Outra possibilidade é a sensibilidade ou a perda de sensibilidade nos mamilos, ruptura da prótese, enrugamento da pele, mal posicionamento do implante ou sintomas que apontem para desordem do sistema imunológico e etc.

 

Mas é comum as próteses mamárias encapsularem?

 

Não. Muitas pacientes temem a contratura, que faz com que, por um processo de defesa interna, o corpo envolva a prótese em um tecido fibroso, sob a pele. O seio fica duro, rígido, e sem razões exatas ou definidas.

Apesar de o número de pessoas acometidas ser baixo, não há como prevenir esse tipo de reação, que pode estar presente no processo de cicatrização e varia em cada organismo.

 

Há técnicas que beneficiam o processo de adaptação da prótese pelo corpo e os médicos experientes sabem como administrá-los, sempre avaliando caso a caso, paciente a paciente.

O tamanho das próteses e as técnicas cirúrgicas também influenciam e é de fundamental importância a escolha do cirurgião plástico.

 

A recuperação é mais rápida?

 

Depende do motivo que levou a paciente a fazer a revisão do implante de mama, os cuidados pós-cirurgia e do organismo.

Seguir rigorosamente as instruções e recomendações médicas é o caminho mais rápido para uma recuperação saudável. É importante não burlar ou adaptar nenhuma indicação dada e ainda manter os exames de acompanhamento que se seguem ao procedimento, programados pelo cirurgião plástico.

É comum que os seios pareçam duros ou inchados no primeiro momento, mas essa é uma reação esperada e que não deve alarmar. As cicatrizes também ficam com uma aparência rosada e vão clareando com o passar dos dias. Essas diferenças sutis podem passar despercebidas por quem precisou passar por uma cirurgia de revisão do implante e, caso tenha algum tipo de ansiedade, também vale procurar a ajuda do seu cirurgião.

Como no caso das mamoplastias de aumento ou até nas mastopexias, que diminuem o tamanho dos seios, o segredo é o pós-operatório.

 

Saiba que, no pós-operatório:  

Os cuidados influenciam definitivamente o resultado e estando em casa, o processo demanda seguir rigorosamente as orientações médicas e ter alguns cuidados práticos.

Vale o reforço especialmente para pessoas economicamente ativas, que necessitam da recuperação para voltar ao mercado de trabalho, já que tendem a querer ‘forçar um pouco mais’, burlando levemente algumas recomendações.

 

Lembre-se:

  • A cicatrização demanda tempo.
  • Não movimentar os braços em excesso:

Sobre este item, é interessante observar uma dica prática sobre o limite que pode estabelecer para estes movimentos, mais sutis.

#Dica: Antes da cirurgia, em frente a um espelho:

  1. ponha as mãos em um seios
  2. movimente o outro braço para trás
  3. em certo ponto, veja que o seio será puxado por conta do movimento com o braço

Este é o seu limite. Daí em diante o movimento pode ser brusco demais, especialmente nas semanas que se seguem à cirurgia. Tenha delicadeza!  

  • Nunca se deve fazer esforço físico nas primeiras semanas.
  • Não dormir de bruços ou de lado por, pelo menos, trinta dias.
  • Evitar ao máximo a exposição ao sol. O período será recomendado pelo médico, durante o acompanhamento ao paciente. É seguro afirmar que pelo menos 90 dias são necessários.

 

DR SPÍNDOLA

CRM 92759

*Residência Médica em Cirurgia Geral por 2 anos no Hospital do Servidor Público Municipal (HSPM) de São Paulo.
* Residência Médica em Cirurgia Plástica por 3 anos no Hospital do Servidor Público Municipal (HSPM) de São Paulo.
*Especialista em Cirurgia Geral pelo Conselho Federal de Medicina (CFM).
*Especialista em Cirurgia Plástica pelo MEC – Ministério da Educação.
*Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP).